sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

quando só as cotas não bastam...

Sabe quando a gente se depara com algo interessante e importante que seja divulgado...
Pois então...
Terça-feira passada eu fui na última sessão do Macondo Cineclube, no Museu Treze de Maio, e lá eu conheci duas estudantes universitárias preocupadas com a situação dos cotistas negros da UFSM.Antes do início da exibição do filme, elas se apresentaram ao público como integrantes do grupo Afronta. No final da sessão, eu conversei com elas pra saber mais sobre a proposta deste grupo:

As integrantes do Afronta, Nayra e Najla da Silva, estudam na UFSM e me explicaram que o Grupo foi criado com a finalidade de reivindicar políticas de permanência dos cotistas negros da Universidade. "Necessitamos de ações afirmativas de fato pois o jovem negro continua em desvantagem mesmo depois que ingressa na universidade", afirmam as estudantes.

Permanência - Segundo as universitárias, há muitos cotistas negros que estão desistindo da Faculdade devido à falta de condições que garantam a permanência destes jovens na instituição. Nayra e Najla contam que não há um incentivo que mantenha os cotistas estudando. Muitos trabalham e não conseguem acompanhar as aulas da faculdade. São policiais, motoristas, seguranças, entre outros profissionais, que, além de ter uma condição financeira limitada, não encontram apoio ou auxílio necessário para dar continuidade aos estudos. "Algumas universidades oferecem uma bolsa permanência para alunos cotistas. Na UFSM falta uma valorização maior no sentido de inserir realmente o aluno negro na Universidade", destaca Nayra. "A universidade poderia ter uma atenção especial nas políticas de permanência a estes estudantes", completa Najla, estudante de Direito da UFSM, acrescentando, inclusive, que há uma carência de referências para estes alunos na própria UFSM, como professores negros, por exemplo. O que o grupo Afronta defende é uma representação dos negros em todos os segmentos da sociedade, incluindo a Universidade.

Sobra de vagas - Outra preocupação do grupo é quanto ao não preenchimento das vagas para cotistas negros. Os candidatos que poderiam se beneficiar dessas vagas tem preferido ingressar na Universidade pelas cotas de escolas de escola públicas. A intenção do grupo é realizar um trabalho, inclusive, nas escolas de Ensino Médio a fim de discutir a importância das cotas para negros. "Há muitos estudantes negros que não se sentem à vontade de entrar pelas cotas até mesmo porque existe na sociedade um discurso contrário a esta forma de ingresso", afirma Nayra que em 2008 entrou pelas cotas no curso de Agronomia da UFSM.

Najla e Nayra acreditam que as cotas existem porque o jovem negro tem desvantagem em relação aos outros. Desvantagem que continua a existir mesmo depois do ingresso destes jovens na Universidade. "É preciso valorizar o fundamento das cotas. Lutamos por ações afirmativas de fato", afirmam as universitárias.

O grupo Afronta, que existe há cerca de um ano, é integrado por cerca de 30 estudantes de diversos cursos da UFSM e se reúne semanalmente. O email de contato é o afrontaufsm@gmail.com.



19 comentários:

  1. agora sim drama queen, tá com cara (preta) de mau humor :)

    ResponderExcluir
  2. Anônimo...Obrigada pela contribuição à discussão...muito construtivo...

    ResponderExcluir
  3. Olha o racismo manifestando-se anonimamenteeee. Covardia puuuraaaa...e deve ser do sexo masculino, quando se trata de covardia!

    ResponderExcluir
  4. Isto precisa sim ser divulgado ,ganhar força e ir para a luta.Estas estudantes estão atentas ao que acontece com os seus pares, solidárias não ficam isoladas, quebram as correntes mais uma vez.Para béns Sil pela sensibilçidade de perceber no Afronta a vida que resiste e está se afirmando apesar , contra esobre o neoescravismo disfarsado. irineu

    ResponderExcluir
  5. De onde saiu essa Alice. Deve ser uma neoativista feminista. Por favor!!! Nao estou defendendo o Anonimos, mas acredito que certas pessoas tambem devem rever seu conceito de rascismo. Só falta terminar dizendo que devem separar homens de mulheres. Tú nao deve lembrar que na história da humanidade algumas tambem tiveram sua participaçao em acontecimentos infelizes. Nao vamos longe. Quem era o braço direito do governo Bush. Quem é considerada a Dama de Ferro na Inglaterra? olhaaa o preconceito disfarçadooooooooo. É pela falta de conhecimento e ignorancia é que nao entendemos fatos da história da humanidade. Fica a dica estude mais!!! Parabens Silvana pela matéria.

    ResponderExcluir
  6. A silvana nem acaba de escrever no blog e duas pessoas já colocam observaçoes que vao de ao que é exposto pela matéria, rascismo e preconceito. Primeiro esse palhaço rascista desse covarde anonimo, depois essa menina falando em tom que deixa claro que todo homem é covarde, meu Deus. Onde vivem esses dois. Viva as iniciativas em defesa dos direitos humanitários..da socializaçao das condiçoes minimas de viver e se fazer pensante. Viva as açoes que tentem ao coletivo. BRANCOS + PRETOS + AMARELOS + AZUIS + VERDES. HOMENS + MULHERES + HEMAFRODITAS. HETEROSSEXUAIS + HOMOS. VIVA A DIVERSIDADE!!!

    ResponderExcluir
  7. Alice querida, sei que não és preconceituosa, mas teu comentário não foi feliz, apesar da gente saber todos os dias as cotidianas agressões sofridas pelas mulheres, vítimas de alguns homens violentos e machistas. E isso é cotidiano de milhares e não serve o exemplo minoritário de duas mulheres citadas acima. Concordo com o Mundo Colorido, que escreveu anteriormente: Viva a diversidade. É bom lembrar que há homens e mulheres machistas e covardes e é a ATITUDE que precisa ser condenada. Pensamento escravagista o comentário do anônimo, primeiro a escrever, lamentável!

    ResponderExcluir
  8. AMIGOS, sabias palavras de alguns e infelizes de outras. Infelizmente esquecemos que no mundo de hoje vivemos varios tipos de torturas e talvez as piores nao sejam as feitas de forma fisica e sim de forma psicológica. Vivemos uma sociedade do imediatismo e do consumo, nao somente do consumo fisico mas da satisfaçao psicológica. ser gordo ou magro, ser belo ou feio. somos torturados por padroes comportamentais diariamente. todos sabemos que mulheres sao agredidas e devem ser protegidas por lei e tambem amparadas e acompanhadas. assim como outros milhares de seres humanos que estao a margem da sociedade esperando ser tratados com dignidade e zelo por aqueles que tem o poder de mudar e realmente influenciar o caminhar das coisas. no meu dia a dia vejo milhares de pessoas serem agradidas de todas as formas por patroes que ainda desreipeitam as leis do trabalho, que nao fazem de suas empresas um lugar de dignificaçao e respeito ao trabalhador e ao trabalho dignificante. vivemos uma era de violencia mais refinada e elaborada, vendemos uma liberdade falsa. a sociedade brasileira nao discute aborto, nao discute a prostituiçao e nem mesmo as drogas de forma séria..pois isso tira votos..machuca a igreja e seus dogmas. nao seria tortura viver em um estado democrático, onde nao podemos discutir açoes que melhoriam a vida de todos? em um país onde quem defende aborto é assassino..quem é contra as cotas é rascista..quem queima baseado é vagabundo e bandido..o que podemos esperar. pois até mesmo quem defende algo nobre como as cotas e outras coisas defende sem querer a segregaçao. intitulando, rotulando pessoas que pensam contariamente as suas ideias de rascistas fascistas ou de coisas piores. sao tao agressores quanto aqueles que agridem. é mais facíl construirmos muros, do que convidar a todas a participar e discordas de nossas convicçoes. devemos lembrar que todos temos direito de livre expressao e tambem de rever conceitos. ainda espero por umá sociedade onde possamos discutir temas polemicos e que nao vivamos a ditadura do moralismos, da midia, a ditadura economica. fico pensando em algumas passagens da história, a escravidao por exemplo..onde os próprios negros caçavam e comerciavam negros na africa. iguais caçando iguais. será que nao vivemos assim hoje. uma sociedade que se diz nao rascista e tem atitudes neosegregantes. uma sociedade que se diz igual caçando iguais. gays, lésbicas,aleijados, negros,prostitutas, mulheres, trabalhadores, pobres. em todo lugar a mesma guerra!!!

    ResponderExcluir
  9. Anjo Salvador-servo do Senhor7 de dezembro de 2010 12:50

    PAZ NA TERRA E AOS HOMENS DE BOA VONTADE.
    É por vontade de Deus que temos a girafa, o macaco a cobra. É por vontade do senhor que temos em nossas vidas Seres humanos diferentes em vontades, cores e tamanhos.
    Infeliz daquele que não reconhece em ti SENHOR a vontade divina. Que nao respeita as tuas vontades. Que nao respeita as tuas criações. Pela paixão de Cristo tentou aliviar as dores do mundo, mas os homens teimam em fazer o mal. A esperança do homem nasceria e viveria no entendimento das tuas palavras. Só o ensinamento Cristao teria capacidade de livrar toda humanida do apocalipse e do julgamento final.
    Por fogo e enxofre dos maus a terra será livrada
    Assim está na escrituras.
    A volta do amado mesias, escolhido por Deus está perto, mostrando que o amor Divino ainda recai sobre todos,Bons ou mal. Pobres ou ricos. Negros ou Brancos. Nesse mundo que está para acontecer todos serao iguais.
    Todas essas discussoes e palavras de ofensas serao esquecidas e serao pequenas perto do grandiosa presente dado por Deus ao planeta terra e seus filhos.

    ResponderExcluir
  10. Hahahaha! Pronto, agora virei preconceituosa e sexista. Ok, "queridos", meu comentário de mulher chifrada foi infeliz, e me baseei em experiências particulares para caracterizar uma particularidade que realmente independe de gênero. Pra teu governo, Julio Cesar, sou Alice, irmã da Silvana, sempre comento nos blogs e se tivesse o mínimo de atenção não me rotularia automaticamente de "neoativista feminista". Ativista,sim, meu caro, na educação, mas nem um pouco defensora do feminismo. Eu queria ver se todo esse discurso que aflora a favor da diversidade que to lendo aí realmente na prática se exerce. Mundo colorido, obrigada pelo "menina", vale a ti o mesmo já dito. Vivo o mesmo mundo que você, e talvez conheça mais do que tu a miséria do ser humano, a fragilidade da criança exposta à violência sexual (principalmente de homens,sim, fato)e o quanto ainda sim há potência de viver nesse ser. Tereza, obrigada, mas não preciso que de defesas. Meu comentário foi infeliz (brincadeira de mau gosto, ok), não teve pretensão de ser sexista, no entanto, foi justificado.Hasta!

    ResponderExcluir
  11. Alice, não pretendi te defender.Realmente entendo que a generalização não é justa, seja tu Alice, ou não. Nem, sempre concordo com tudo o que as pessoas que amo, dizem.Bom debate e aos que cultivam a fé em Cristo, entendo e interpreto que Cristo mandou que sejamos protagonistas na transformação de todo o mal. Somos sujeitos ativos e depende de nossa ação, certamente, um mundo igualitário, que desejamos.

    ResponderExcluir
  12. peraí, vamos com calma. justificar o comportamento geral com exceções é o tipo de argumento perigoso e mais cheio de enganos. há duas mulheres (e mais algumas, não importa) que podem ser usadas como exemplo de "más mulheres". tá, e aí? o que isso muda nos dados mundiais de agressão, de violência psicológica, na inferioridade de salário, no espancamento de empregadas, nas alunas sendo linchadas porque não usaram vestido de mulherzinha virgem? homens reproduzem um padrão social que é covarde com as mulheres porque foram socializados assim, porque aprenderam assim. não importa se não é "questão de caráter", se há ou não reflexão de conceitos, padrões, práticas sociais, etc: mulheres são apedrejadas no irã porque fazem sexo e, são desmoralizadas, rotuladas e diferenciadas no brasil por pouco mais que isso... a covardia é de ordem social. mas, seguindo aquele raciocínio, dá para citar um, dois ou dez negros que se deram super bem na vida e - pronto - viram como nem existe tanto racismo assim? fora isso, é sempre bom lembrar: não confundam feminismo com sexismo. afirmar desigualdades de gênero, lutar por direitos e tratamentos iguais e contra qualquer forma de opressão (física, psicológica, moral, social) não tem nada a ver com dominação, com superioridade de mulheres sobre homens e essa balela toda. toda mulher que se faz respeitar enquanto tal, que não admite subjugos, rótulos ou ditames de comportamentos, é feminista à medida que não permite ser discriminada por seu gênero. sexismo é outra coisa, é imposição, e não tem nada a ver com a causa feminista. não se percam nos conceitos. e nem nos argumentos.

    ResponderExcluir
  13. a propósito, o afronta é um coletivo e tanto. as gurias - assim como o resto do grupo - têm uma luta grande pela frente. embora a causa do movimento negro seja bem maior que a universidade, só quanto às ações afirmativas ainda há muito o que avançar. o debate sobre desigualdades de acesso e permanência ainda é cheio de conservadorismo no país inteiro. e a UFSM, claro, é um bom (e triste) exemplo disso.

    ResponderExcluir
  14. “Nenhum homem é uma ilha isolada; cada homem é uma partícula do continente, uma parte da terra; se um torrão é arrastado para o mar, a Europa fica diminuída, como se fosse um promontório, como se fosse a casa dos teus amigos ou a tua própria; a morte de qualquer homem diminui-me, porque sou parte do género humano. E por isso não perguntes por quem os sinos dobram; eles dobram por ti”.

    ResponderExcluir
  15. QUERO FAZER PARTE DO CIRCO10 de dezembro de 2010 10:14

    Até escritor morto vindo assombrar os vivos tem por aqui hehehehehehehe!!! Esse foi o melhor e mais original até agora!!! ahhh mas temos o anjo salvador que alem de tudo é servo do senhor. ponto pra ele tb!!! galera isso aqui tá um circo. um universo de multiplas cores mesmo. maior barato!!! tirando alguns comentarios meio infelizes..o resto é tudo festa..parabens a todos pela vontade de se manifestar e mostrar que podemos ter dialogo sobre temas polemicos..concordo com o amigo gismael..chega de taxar as pessoas..muito escutei que pessoas que sao contra as cotas sao rascistas ou fascistas..e quem as defende sao comunistas e petistas..vejam o exemplo das eleiçoes 2010..nunca na minha vida tinha assistido tanta baixaria..os marqueteiros de todos os candidatos baixaram o nivel..vulgarizaram nossas escolhas..TODOS NASCEMOS PELADINHOS PELADINHOS..Todos iguais e ao mesmo singulares..o que vale é o livre pensamento!!! UM RECADO PARA TODOS QUE FALAM MUITO DE AGRESSOES..VIVEMOS UMA ÉPOCA QUE AS AGRESSOES PSICOLÓGICAS SÃO FERRAMENTAS INTELIGENTES DE SEGREGAÇÃO, HUMILHAÇAO E AINDA NAO DA-SE VALOR A ISSO DE UMA FORMA ADEQUADA. A SOCIEDADE VOLTADA PARA O MERCADO COMPETITIVO, GERANDO DISTORÇOES DE TODAS AS ORDENS E NATUREZA. AS AGRESSOES DESSA NOVA ERA NAO APARECEM NO CORPO MAS NO COMPORTAMENTO!!! POR TEMPOS A UNICA MANEIRA DE SE CONTER O GRITO DE UM SER HUMANO ERA A REPRESSAO FISICA..A VIOLENCIA SOB COISAS À INTEGRIDADE FISICA. DANOS À PARTES FUNCIONAIS DO CORPO INCLUSIVE AO CÉREBRO. ACOMPANHAMOS REQUICIOS DE AÇOES DESSE TIPO NAS PRISSOES AMERICANA EM CUBA. FERRAMENTAS USADAS DURANTE A GUERRA FRIA. MAS NAO ESQUEÇAMOS QUE DA DITADURA QUE TODOS SOMOS SUBMETIDOS NOS DIAS DE HOJE. BELAS PROPAGANDAS DE CARROS ESPORTES COM BELAS MULHERES COMO ACOMPANHENTES..SE VC TEM UM FUSION, VOCE FEZ POR MERECER!!!

    ResponderExcluir
  16. Viu a merda que tu faz, Sil!!!! Que mania de escrever tudo que pensa!!!! Porque não reflete e para de polemizar!!!!
    Trouxe muamba??? Maconha?? Lança Perfume???

    ResponderExcluir
  17. O engraçado que no discurso de todos, de uma forma ou de outra, há resquícios, mesmo sutis, de "sermão moralista". Realmente nascemos todos pelados e continuamos nús.

    ResponderExcluir
  18. Eu li o post, e até pensei em comentar que estava preparando uma matéria que citava o Afronta, mas, na correria deixei pra lá...

    O que quero dizer é que gostei do que li. Assunto pertinente e de importante debate. Parabéns!

    ResponderExcluir
  19. Oi Taty. Obrigada. Pois as gurias com quem conversei me disseram que tinham falado com alguém do Diário. que ótimo se a iniciativa delas for divulgada pelo jornal.

    ResponderExcluir