sábado, 9 de julho de 2011

#BicicletadaSM

Sempre fui meio mongona para andar de bicicleta. Quando pequena, gostava da segurança das rodinhas. Tinha medo de cair; eu tinha medo de várias coisas. Meio travadinha, sabe. Só subia na árvores depois que todos subiam, só subia o morro depois que via os outros indo primeiro...etc. Tipo maria vai com as outras. Eu era delicada, hahaha.
Então...acho que aprendi mesmo a andar de bike na adolescência. Achava as bicicletas altas demais, e saía andando tremelicando. Tirar as mãos do guidão, nem pensar. Era demais para mim. Patético.

Uma das coisas legais que a gente fazia em Restinga Seca era andar de bike na estrada de chão (sim, porque não tinha asfalto na estrada em frente a nossa casa). Íamos até um local chamado Espigão, um mega ladeirão, todo empedrado. Subíamos até o topo com as bikes e descíamos o espigão. Uhuuuuu!! Detalhe que eu, tri idiota, na primeira vez, desci junto com a Lúcia - uma em cada bike-, só que eu não freei durante a descida. Bom...só lembro da Lúcia me olhando disparando na frente dela, tri apavorada. Claro que eu ganhei o racha né. Na loucura, mas ganhei. E eu com as mãos grudadas no guidão e a adrenalina a mil pelo Brasil. Se eu caísse...iria me machucar bastante. Sabe quando tu não se liga que pode usar o freio? Tá loco...

Eu me lembrei disso porque vi no Twitter que no dia 14 de agosto, um domingo, ocorre a #BicicletadaSM, com saída às 15h da Biblioteca Pública Municipal.
Seria tão bom se houvesse na cidade mais estrutura para circulação de bicicletas e menos carros. Não adianta culpar as pessoas por comprarem carros se não há ciclovias, não há trens, não há transporte coletivo eficiente.
Eu adoraria me deslocar de bike na cidade, mas tenho medo de fazer isso em Santa Maria. O trânsito daqui anda tão caótico, tão intolerante, tão desorganizado, que não tem como as pessoas simplesmente trocarem o meio de transporte pela bicicleta.

Então, eventos como esse são interessantes para trazer à tona essa discussão. Ainda mais depois do episódio do maluco atropelador em Porto Alegre.

O cartaz é de Elias Maroso. Ficou bem legal!

10 comentários:

  1. Régis Cotoquinho11 de julho de 2011 11:35

    Por muito tempo andei de bicicleta nao somente em Santa Maria, mas por varios lugares do país. Até que no dia 31 de setembro de 1986 fui atropelado e tive as duas pernas amputadas. Apartir desse momento passei a ser ativista de causas contra a violencia no transito. Mas no dia 31 de dezembro de 1990, um dos meus ex-colega de bike saiu bêbado de uma festa de virada de ano, me oferecendo uma carona, para minha falta de sorte aceitei, o carro que vinhamos capotou matando meu amigo e arrancando o meu braço esquerdo. Hoje continuo me dedicando a causas contra a violencia no transito. Escrevo apenas com o meu braço direito, com muito sofrimento, pois tenho artrite reumática crônica, o que me impede de escrever mais de 3 horas por dia. Mas o que eu queria dizer para todos que praticam esporte é que compareçam e que lutem para que tenhamos cada vez mais estrutura para a prática de exercicios nas nossas cidades. E que nao tenham medo de serem atropelados e terem as duas pernas amputadas, pois o meu caso é raro, pois o carro que me atropelou passou por cima das minhas pernas,o motorista ao sair do carro esqueceu de acionar o freio de mao, fazendo com que o carro atropelasse minhas pernas pela segunda vez. Normalmente, vitimas de atropelamento morrem ou ficam paraplégicas.

    ResponderExcluir
  2. Querida Silvana. Nasci com uma deformidade congenita que me impede de praticar o ciclismo ou qualquer outro esporte. Sou praticante de xadrez a mais de dez anos. Gostaria de saber como poderia ajudar a difundir o esporte na cidade de Santa Maria, Já que nao poderei sair de casa no dia do evento. Obrigado!

    ResponderExcluir
  3. Ah tá!!!! Tão de gozação contigo Sil!!!! Que coisa mais mórbida eses comentários!!!!

    ResponderExcluir
  4. Eiiii, família estraga tudo,né?hahahahaha

    ResponderExcluir
  5. Eu não me arrisco sair na região central da cidade de bike , só em fins de semana ou à noite, quando o trânsito de carros diminui, ai da para dar uma pedalada. Caso contrário tu está arriscando voltar dentro de um saco preto.

    ResponderExcluir
  6. Ola, obrigado pela divulgação da bicicletada, so que nao vai ser quinta-feira que vem.A bicicletada vai ser dia 14 DE AGOSTO DOMINGO...obrigado mesmo assim.abraço

    ResponderExcluir
  7. Verdade. Eu errei bem errado. É em agosto. Foi mal. Ainda bem que no cartaz tá certa a data.

    ResponderExcluir
  8. pois é, o transito de SM ta complicado. E quem estava esperando por tuneis e viadutos ... está recebendo como solução baldes (pá?) de cal

    ResponderExcluir
  9. Nunca consegui aprender a andar de bicicleta, porque minha infância foi numa região muito acidentada, estradas pura pedra e bicicleta era algo muito raro.Um irmão meu tinha tanta vontade de ter uma bicicleta que fez uma de madeira, pobrezinho! Tentei mais tarde mas só ralei joelhos e cotovelos. Desisti. Continuo achando perigoso, principalmente devido ao desrespeito que muitos motoristas têm por pedestres e ciclistas e também porque não há locais adequados. Mas me esforcei para que meus filhos aprendesses e aprenderam, mesmo que alguma fosse meio medrosinha.

    ResponderExcluir