domingo, 15 de fevereiro de 2009

Entrevistas e intenções estranhas

O Jornal A Razão deveria ser chamado para ser testemunha de defesa dos réus da Operação Rodin. Falo isso por causa da frequência de publicações de entrevistas com os indiciados de Santa Maria. Neste final de semana, foi publicada uma entrevista com Sarkis. É a terceira ou quarta vez que vejo o Sarkis se defendendo através do Jornal. No ano passado, no mínimo duas grandes entrevistas foram feitas com o tal do Silvestre, que era presidente da Fatec. Também já foi publicado um artigo na página de opinião da filha de José Fernandes falando da seriedade do trabalho da empresa deles, a Pensant, e do abalo psicológico que a família está sofrendo por causa da Rodin. Não me comovi com o apelo, mas não posso dizer o que o público achou da manifestação. Parece que o tal do José Fernandes está em profunda depressão. Os motivos de tanto deprê são dúbios, hehe.
O caso é que estranho este empenho do Jornal A Razão em dar tanto espaço para os réus se defenderem. Acharia normal se o Jornal também desse o mesmo espaço para o Ministério Público Federal ou para a Polícia Federal. Mas não...o que vejo é uma intenção em tornar públicos os esclarecimentos dos réus. Na minha opinião, não é papel do Jornal fazer isso; ainda mais nesse momento em que as testemunhas estão sendo ouvidas. O Jornal A Razão fez uma fraca cobertura da Rodin, mas dá páginas e páginas de entrevistas com réus. Por quê?
Se Sarkis, Silvestre e companhia forem realmente inocentes, a Justiça poderá dizer. Eu tenho uma tendência a acreditar que a Política Federal e o MPF são instituições sérias que não iriam indiciar pessoas sem ter razões para isso. Mas, sei lá...posso estar errada.
A entrevista do ex-reitor na edição deste final de semana só mostra que estão todos loucos para saber e "pegar" o tal do professor que fez a denúncia anônima para o Ministério Público. o professor que deu origem a tudo. Por enquanto, a Justiça está preservando seu nome, mas talvez um dia isso vaze... e coitado...
Para Sarkis, tudo que foi denunciado foi motivado por disputas políticas. Diz ele na entrevista: "Acredito que se o nome do tal professor da denúncia anônima for informado pelo MPF, que guarda sua identidade, poderemos compreender melhor quais forças se reuniram para plantar essas mentiras". Aham. O pior não foi isso. Sarkis ainda critica o trabalho do MPF: "Muitos poucos entendem que o Ministério Público Federal possa lançar essas acusações com base em meros exercícios mentais", diz ele na entrevista. Exércícios mentais?????? O que ele quis dizer com isso? Alguém sabe?

Um comentário:

  1. é só tu ler o melhor jornal da cidade: o diário

    ResponderExcluir